fbpx

VEJA AQUI – 5 celulares bons e baratos

Publicidade

A Review de hoje será muito especial – e completinha – para você está pensando em trocar o seu celular, ou saber quais são os cinco melhores celulares no quesito do custo-benefício.

Para iniciarmos a avaliação, ressaltamos a importância de identificar o que seria um preço “barato”; nos dias atuais, há celulares que custam uma fortuna – equiparando-se ao preço de uma televisão Smart – não iremos lhe apresentar esses celulares, entretanto, informamos que não há um celular bom que esteja abaixo da faixa dos R$1000,00, por exemplo.

Publicidade

Dada às devidas considerações, vamos adentrar ao mundo tecnológico dos celulares, começando pelo

TOP 5 – Realme C25:

CONFIGURAÇÕES

Quando lançado, o Realme C25 trouxe grande impressões para o público, sendo um celular intermediário, possui em sua configuração, principalmente em seu sistema operacional, o Android 11 Realme UI 2.0 – ou seja, de última geração (2021). O seu hardware é de 6.8/10, portanto, como mencionado, encontra-se na faixa intermediária, o seu desempenho quando utilizado de maneira forçada, isto é, com diversos aplicativos ligados e desenvolvendo variadas atividades ao mesmo tempo como, por exemplo, jogar; foi possível observar uma queda significativa, ficando com 4.1/10.

Contudo, em compensação, a sua câmera faz um estrago (risos), tendo em vista a sua resolução de 8000×6000 pixel, com a estabilização digital, autofoco, foco por toque, o flash por LED, e a câmera frontal com 8Mp F2, a sua performance foi de 7.8/10. Em relação ao vídeo, a resolução é Full HD, com 60 Frames per Second, sendo que a câmera frontal faz metade do FPS, mas também tem a resolução Full HD, com a opção de HDR/Face Detection.

Publicidade

Os seus dados técnicos são relativamente bons, vejamos: o processador é de 2x 2.0 GHz, Cortex-A75 + 6x 1.7 GHz, Cortex-A55, detendo de uma GPU Mali-G52 MC2, com a RAM de 4GB e a memória já instalada de 128GB, entretanto, pode ser expandida com um MicroSDXC de até 256GB – no espaço para inserir o cartão SIM (chip telefone), modelo Nano, o pente também já vem configurado para a instalação de um cartão de memória à sua preferência.

ACABAMENTO

De início, ressaltamos não se tratar de um aparelho a prova da água, então, mantenha-o longe de qualquer vestígio de líquido. O seu acabamento surpreendeu a crítica, na compra do aparelho, o modelo C25 traz consigo somente o carregador do aparelho e a chave de abertura do pente lateral para inserção dos chips e cartão de memória, ou seja, os fones de ouvido deverão ser comprados em apartado, a Realme não disponibilizou esse objeto, apesar de existir a conexão para fones de ouvido na parte inferior do aparelho. Nessa mesma parte, há uma saída de ar na lateral esquerda, bem como o microfone, e ao meio temos o encaixe para o carregador.  

O celular segue o padrão fino, portanto, nada de diferente nesse sentido, apenas que o seu leitor de digital encontra-se na traseira do celular, as três câmeras que detém ficaram com um acabamento quadrado ao lado superior esquerdo (traseiro), enquanto a câmera frontal está no meio da tela, seguindo o padrão.

TECLADO

Sem grandes considerações, no modo básico, levando-se em consideração o tamanho da tela intermediária, é bom o seu touch, respondendo a comandos de forma ágil e espaçamento adequado para uma digitação rápida.

TAMANHO/PESO

As suas dimensões são de 164.5 x 75.9 x 9.6 mm, o que significa dizer ser extremamente fino, o seu peso é quase que nulo, com 209 gramas. A tendência dos celulares é essa, ficar quase que invisível e sem peso.

TELA

O Realme C25 possui uma tela de 6,5 polegadas, com a resolução de 720×1600 pixel – não excelente, mas considerável para o seu desenvolvimento – o seu FPS é de 60Hz, estilo padrão, com cores de 16 milhões. A tela preenche toda a parte do celular.

É BOM PARA JOGAR?

Levando em consideração os testes realizados, foi possível constatar um desempenho e otimização ótimos, tendo em vista que a proposta do celular não é essa, em resoluções baixas e médias, em torno de 50/60 FPS, os jogos rodaram de forma livre – sem travar – com movimentos lisos, sem quedas bruscas e muito menos o superaquecimento. A imagem ficou nítida, não sendo preciso forçar a vista para jogar. O C25 mostrou-se apto para jogos.

É BOM PARA TRABALHAR?

Desenvolvido com essa intenção, o Realme C25 tem capacidade para execução de tarefas do cotidiano e de trabalho sem esforço, é possível utilizá-lo de maneira rápida e eficaz sem se estressar com a bateria ou memória. Por ter um processador intermediário com um Android de última geração, qualquer aplicativo como, o Word e Excel, funcionam com grande clareza e destreza.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Tratando-se de um aparelho de R$1200,00, devemos evidenciar que é uma ótima opção intermediária do custo-benefício.

TOP 4 – POCO X3 Pro

O celular da Xiaomi, a marca dos aparelhos tecnológicos que tem se destacado no mercado, comparando-se até mesmo aos Iphones – os quais não serão inseridos nessa lista, tendo em vista que eles não entram no quesito de custo-benefício. Entretanto, o POCO X3 Pro é fenomenal e, pela crítica, é notável a sua potência, tanto é que a partir da nossa análise específica veremos que, a depender do comprador, vale a pena adquirir o Xiaomi ao invés do Iphone – o queridinho dos americanos.

Vamos às suas especificações:

CONFIGURAÇÕES

Um smartphone seguindo a linha do sistema Android com o operacional 11 MIUI 12, isto significa, de última geração, na modalidade do ano de 2021. O POCO X3 Pro fez o “boom” no mercado, após o seu lançamento na faixa de R$1.900,00, a galera esgotou todos os estoques e o celular acabou sofrendo um aumento no seu preço, tendo em vista a lei da Oferta e da Procura. Contudo, haja vista o seu lançamento no ano passado, apesar de ainda ser muito cogitado para compra, o POCO X3 sofreu uma queda em seu preço, sem deixar com que a sua potência perdesse o destaque.

Em relação ao custo-benefício, o smartphone tem uma nota 8/10, já que o seu processador é 2x 2.96 GHz Kyro 485 Gold + 6x 1.8 GHz Kyro 485 Silver, detendo de 64 Bit, com a GPU Adreno 640. O POCO não tem para ninguém a sua Memória RAM é absurda, 6GB com a memória padrão expansível até 128GB – a partir do Micro SD até 1000GB.

A agilidade desse celular supera qualquer outro em relação ao preço disponível no mercado atual. A sua bateria é do tipo LiPo, com 5160 Amperes, com carregamento rápido. Os seus sensores básicos são de acelerômetro, proximidade, giroscópio, bússola e impressão digital – a qual verifica-se na lateral do celular, buscou-se com isso a facilidade que o ser humano tem de pegar o celular e clicar na lateral dele.

ACABAMENTO

Seguindo um estilo minimalista, o aparelho eletrônico da Xiaomi é esteticamente bem conceitual, detendo de um aspecto não chamativo, o que é um ponto positivo. Na sua cor predominante cinza prateado, o POCO, na versão de fábrica (risos), vem com uma capinha própria, bem como os adesivos do celular para que você os possa colocar no carro, ou mesmo na traseira do smartphone, a qual é composta de um plástico mais frágil em comparação com a versão anterior (POCO X3).

Abrindo-o, verificamos a sua chave de acesso ao cartão de memória e chip – que deverão ser inseridos – e constatamos que a Xiaomi deixou a desejar em um requisito, ao invés de colocar três campos, preferiu optar por dois, isto é, ou você escolhe utilizar um chip e um cartão de memória, ou dois chips sem o cartão de memória.

Recomendamos que não o utilize na água, já que o celular não detém de tanta proteção ao líquido, mas se cair uma gota de água, não será o fim do mundo. O grande problema dos novos modelos é que eles não disponibilizam mais os fones de ouvido, portanto, o POCO não ficou de fora dessa, o que você terá disponibilizado por eles será o carregador branco, mas com a pontinha vermelha para diferenciação da entrada.

TECLADO

Sem grandes novidades, apenas apresenta duas opções de escolha quando da configuração do aparelho, aconselhamos que utilize o padrão do google, todavia fica a escolha do consumidor.

TAMANHO/PESO

Sua dimensão é de 165,3x 76,8 x 9,4 mm – extrafino – com o peso de 215 gramas.

TELA

A sua tela possui 6,67 polegadas – tamanho atual padrão – com resolução de 1080x 2400 pixels, cuja densidade é de 386ppi. A diferença da tela é que o seu tipo Full HD – especificamente com o 120 Hz de Frames per Second, as cores de 16 milhões e uma proteção Gorilla Glass 6.    

A sua câmera é de resolução 8000×6000 pixel, com uma estabilização digital. O ângulo máximo, utilizando a tela no modo ampliado é de 119°. As câmeras traseiras têm megapixel de 48Mp ­+ 8Mp + 2Mp + 2Mp, enquanto a câmera frontal é de 20Mp F 2.2.

Já o seu vídeo detém a resolução de gravação em dois modos – tanto o Full HD quanto o 4K – sendo que ultrapassado os 2160p, automaticamente a câmera cai para a resolução Full HD. O seu FPS é de 30, com um slow motion de 960fps.

BOM PARA JOGAR?

O intuito do POCO X3 é justamente para esse fim, desenvolveram um processador mais ágil e completo para que os gamers pudessem utilizá-lo com destreza. O seu resfriamento é alto, portanto, dificilmente o celular ficará quente durante qualquer partida de jogo. Em análise, não constatamos qualquer tipo de travamento, a Xiaomi fez o seu trabalho.

É BOM PARA TRABALHAR?

Dispensa comentários, se eficiente para jogar, em relação a utilização do POCO para trabalho, excelente aparelho – até mesmo fora dos padrões.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como comentamos anteriormente, após a sua variação de preços, hoje o POCO X3 Pro está na faixa dos R$1.500,00, devido ao seu lançamento no ano passado, entretanto, continua dominando o mercado com a qualidade do produto.  

TOP 3 – Samsung Galaxy A51

O Samsung Galaxy A51 foi lançado no Brasil no ano de 2019 (um pouquinho velho), no entanto, é uma ótima sugestão de celular custo-benefício, como iremos constatar em suas especificações, avante!

CONFIGURAÇÕES

O Galaxy A51 é dual chip, de LTE 4GB, com 8 Core (2GHz), possuindo uma memória de 128 EXP. O seu sistema operacional, comparado aos demais celulares apresentados é o Android anterior, isto é, 10 Samsung One UI 2,0, já que a sua disponibilidade é do ano de 2019.

Em pesquisas, o seu hardware é incrível, com nota de 8,1/10. O Chiset é o Samsung Exynos 9611, com processador de 4x 2,3 GHz Cortex-A73 + 4x 1,7 GHz Cortex- A53. Detém 64BIT, cuja GPU é a mali-G72 MP3, com a RAM de 4GB e a memória interna máxima de 128GB, sendo que a sua expansão poderá ser feita a partir de um Micro SD de até 512GB.

A bateria do Galaxy é a LiPo com 4000 amperes. O celular tem o desbloqueio por impressão digital e a novidade é o seu microfone de redução de ruído. Em relação à conectividade, teremos as condições padrão: Wi-Fi; Bluetooth; USB; NFC e GPS.

O destaque do Samsung Galaxy A51 é essencialmente ao seu custo-benefício, pois este smartphone lhe trará de tudo como, câmera, rapidez, performance dentro de um aspecto intermediário premium.

ACABAMENTO

A sua traseira possui uma cor vibrante e espelhada, isto é, na luz do Sol ou em qualquer outra, ele produz um reflexo na parte de vidro, a qual ficará com um aspecto de arco-íris.

Detém de saída de ar na parte inferior, bem como a entrada para carregador e fones de ouvido.

A sua impressão digital fica na própria tela, na parte inferior, onde, antigamente, tínhamos o botão de acesso inicial do aparelho. Hoje é possível fazê-lo pela lateral (botão de início/fim), ou a partir do clique duas vezes na tela.

O seu cartão SIM é no estilo Nano. Em testes rápidos, constatou-se que a velocidade máxima para download do Galaxy A51 é de 600 Mbps – extremamente rápido – e a sua velocidade máxima de upload é de 150 Mbps.  

TAMANHO/PESO

O seu peso é bem leve, 172 gramas, ao passo que a sua dimensão está abaixo do padrão dos smartphones de 2021, já que detém de 158,5 x 73,6 x 7,9mm, extrafino.

TECLADO

Padrão básico, com espaçamento essencial para o desenvolvimento da escrita – se essa for a sua finalidade – ou também para o caso dos jogos, apesar da tela ser relativamente reduzida, tem um espaço bom.

TELA

Em comparação com as versões anteriores da Samsung, o A51 traz uma tela espaçosa, com as bordas extremamente finas, deixando um espaço incrível para digitação, para o deslize natural, ou mesmo para quem pretende utilizá-lo para jogar, o espaço não será um problema.

A sua câmera frontal é posicionada no meio da tela completa – estilo dos Galaxys de última geração.

A maior vantagem dos celulares da Samsung é o seu tipo de tela, a Super AMOLED, isto é, trata-se de uma tela que não distorce as cores de 16 milhões, nem mesmo quando você estiver sob a luz no Sol, ela é projetada para entregar uma ótima experiência, nesse sentido. A sua proteção é Gorilla Glass 3, com a densidade de 405 pixels. Polegadas de 6,5, um pouco menor que os demais, com a resolução de 1080×2400 pixel.

O seu vídeo é de resolução 4K (2160p), com auto focagem, FPS 30, com estabilização e Slow Motion de 240 fps.

É BOM PARA JOGAR?

É um aparelho que consegue rodar jogos relativamente pesados numa taxa alta de quadros, sem que haja travamento no aparelho, portanto, super recomendável aos gamers que não querem gastar tanto com um celular para simplesmente jogar.

É BOM PARA TRABALHAR?

Desenvolvido para esta utilidade, o A51 é perfeito para quem pretende trabalhar, com um espaço ótimo de tela para produzir projetos e textos.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Em 2019, durante o seu lançamento pela própria rede de lojas da Samsung, o Galaxy A51 estava numa faixa de preço surreal. Contudo, o seu preço atual é de R$ 1600,00, portanto, dentro da qualidade e conforto que o smartphone oferece. É uma ótima opção para quem deseja algo eficiente e intermediário em todos os aspectos.

TOP 2 – Motorola G20

A Motorola veio em 2021 nos presentear com essa belezinha chamada G20, que se encontra no nosso TOP 2 dos melhores celulares custo-benefício para adquirir. Sem mais enrolações, vamos ao que interessa:

CONFIGURAÇÕES

Dada a sua geração, o Moto G20 possui o sistema operacional do Android 11, cujo hardware, em pesquisa, encontra-se com uma nota de 7,3/10, significando que essa máquina é extremamente potente. O seu processador é de 2x 1,8GHz Cortex-A75 + 6x 1,8 GHz Cortex-A55, com a GPU Mili-G52 3EE. Nesse aspecto, segue o padrão dos celulares que detém o sistema Android de nível intermediário, mas acima da média.

Em relação à sua memória RAM de 4GB, deixa a desejar, mas nada que um slot híbrido (MicroSD/MicroSDXC) de até 256 GB não resolva o problema da memória RAM, já que um celular dessa proporção deveria, ao menos, deter de 6GB de RAM. Entretanto, para compensar esse deslise da Motorola, a sua memória externa é de 128GB, ou seja, mais do que suficiente.

Um dos pontos de destaque do modelo da Moto é a sua bateria do tipo LiPo, mas que, diferentemente das outras, tem 5000 amperes por hora – muito mais potente.

Já com relação ao ponto negativo, dentre os sensores do dispositivo, não há disponível a bússola e nem mesmo o sistema NFC (near field communication), trata-se daquele utilizável para caso queira realizar compras ou pagar qualquer coisa usando apenas o próprio celular, sem o cartão de crédito/dinheiro. Os celulares mais modernos detêm dessa disponibilidade, pois facilita no dia a dia, no entanto, não será algo que estragará a sua experiência em ter um Moto G20.

ACABAMENTO

O seu design é parecidíssimo com os outros modelos da Motorola, com a cor cinza em tom minimalista. Sendo que o seu leitor de digital encontra-se na parte traseira, logo abaixo das câmeras que se localizam no canto superior direito. O botão de liga/desliga continua posicionado à lateral do aparelho.

Quando da compra de seu smartphone, você perceberá que a Motorola continuou por optar a encaminhar os fones de ouvido, mesmo que simples, ainda não fones de ouvido. Conjuntamente de seu carregador do tipo USB C, ou seja, que pode ser inserido tanto de um lado quanto de outro, sem que prejudique o dispositivo – sendo esse o tipo de entrada padrão para os celulares atuais.

Quanto ao seu slot de cartão de memória e chip, você deverá optar ou por dois chips ou por um chip e um cartão de memória. Verificamos que o aparelho mostra uma borrachinha no slot, de cor vermelha, significa que se alguma gota de água cair no aparelho, não terá problema. Contudo, como sempre evidenciamos, não é um celular a prova da água, portanto, cuidado!

TAMANHO/PESO

A Motorola preferiu preservar o conteúdo e manter um tamanho razoável, não muito fino e não muito grosso, mas com um peso considerável, 200 gramas – o mais pesado em comparação aos outros dispositivos. O seu tamanho é de 165,3 x 75,73 x 9,14 mm.

TECLADO

Segue o tamanho e desenvolvimento padrão, com natural resposta dos comandos e espaçoso como os demais.

TELA

Com a tela totalmente preenchida, a Motorola detém de 6,5 polegadas, um pouquinho menor que os outros celulares, cuja resolução é de 720×1600 pixel, sendo a sua densidade de 270ppi, de tipo LCD – não Full HD, mas apenas HD Plus –, e 90 Hz de FPS.

A sua acessibilidade é ótimo ponto positivo, uma vez que com alguns gestos é possível fazer com que a lanterna acenda, ou também com que o celular abra a câmera tanto traseira quanto frontal.

A câmera do Moto é de resolução 4000×3000 pixel, com a estabilização digital apenas para a câmera traseira. O seu ângulo, quando utilizando o modo ampliado, chega a 118°, possui autofoco, foco por toque, flash, detecção facial. Ambas as câmeras são Full HD

No vídeo, chegamos a 30 frames per Second, com HDR/Face Detection.

É BOM PARA JOGAR?

Chegamos ao ponto, talvez, mais decepcionante aos gamers de plantão, pois o Moto G20 não foi processado para rodar jogos de alto nível, ele pode até servir para tirar o pessoal do tédio, contudo, os jogos devem ser rodados na modalidade baixa/média, justamente para que não haja um superaquecimento do aparelho e nem travamentos desnecessários.

É BOM PARA TRABALHAR?

Tendo em vista o seu alto custo-benefício, e a sua projeção para atender o público que prefere utilizar o celular para questões do dia a dia e de serviço, o Moto G20 será uma ótima escolha, apesar dos pontos negativos evidenciados na review – necessários para a avaliação do consumidor final.

O seu preço base está por volta dos R$900,00 a R$1100,00.

TOP 1 – Motorola G60

O tão esperado e não menos importante, número um da nossa lista de melhores celulares para adquirir. Sendo da marca Motorola, vamos saber o que o G60 tem a nos oferecer:

CONFIGURAÇÕES

Na linha do Android 11 da geração dos celulares de 2021, acreditamos que o Moto G60 seja o número um no quesito do custo-benefício entendido pela crítica. Está entre os smartphones de médio desempenho, mas com um alto hardware, dessa forma, podemos considerá-lo um intermediário acima da média.

O seu processador é interessante, 2x 2,3 GHz Kyro 470 Gold + 6x 4,8 GHz Kyro 470 Silver, sua GPU é Adreno 618. E o surpreendente: 6GB de RAM com a memória máxima de 128 GB, podendo ser expandida por meio do slot híbrido de até 512 GB.

Com impressão digital, a sua conectividade vai desde Wi-Fi até o NFC. Sim! A Motorola veio para impressionar. E muito mais do que isso, a sua bateria é extremamente invejável, do tipo LiPo, com 6000 amperes.

ACABAMENTO

Por tratar-se de um aparelho mais charmoso, o seu design vem bem caprichado, com uma cor cinza grafite, cujo aspecto parece-nos brilhante. A sua câmera, diferente da versão anterior mencionada, não é dentro de um quadrado no canto superior da tela. Preferiram deixar as câmeras na posição vertical ao lado direito da traseira.

O seu slot para cartão de memória e chip, é híbrido, logo, deverá optar ou por dois chips ou por um chip e outro cartão de memória. Novamente, é sempre importante ressaltar, apesar de conter a borrachinha que evita com que qualquer líquido adentre o aparelho, ele não é à prova da água. Recomendamos, assim, que evite molhá-lo.

A impressão digital encontra-se na parte traseira do smartphone, sendo que borda debaixo há a saída de ar, bem como o microfone e o campo para inserção do carregador que vem disponível de fábrica, conjuntamente dos fones de ouvido e a capinha transparente no próprio celular. O conector do fone de ouvido está na parte superior do aparelho. E na lateral é possível acessar o assistente do google – um avanço para as pessoas com deficiência, principalmente a visual.

TAMANHO/PESO

Para alguns pode ser considerado como um ponto negativo, mas o peso desse smartphone é diferente dos demais, 220 gramas, um pouquinho pesado em comparação com a geração dos ultrafinos. Até mesmo o seu tamanho de 169,7 x 75,9 x 9,75 mm. Não são impeditivos.

TECLADO

Extremamente espaçoso e ágil para digitação e utilização de jogos. Não tivemos problemas.

TELA

Maior do que as demais mencionadas nessa review, com 6,8 polegadas e 1080 x 2460 pixels, a sua tela é do tipo Full HD, com uma altíssima resolução, 120 Hz de Frames per Second e cores de 16 milhões.

Essa tela é arrasadora, pois há uma sensação incrível de fluidez, qualquer comando é exercido sem demora e ou dificuldade do aparelho, demonstrando, desse modo, a sua agilidade.

A resolução das suas câmeras traseiras é de 12000×9000 pixel, com estabilização digital, auto foque, flash LED tanto para a traseira como para a frontal. Esta última detém de 32Mp F2.2.

Quanto ao vídeo, dispensa qualquer tipo de comentário, com resolução 4K, cujo FPS para gravação é de 30, seu slow motion de 240 fps, altamente insuperável.

É BOM PARA JOGAR?

Em testes, foi possível constatar uma ótima fluidez, em padrões de médio e alto nível, o jogo roda sem qualquer dificuldade ou superaquecimento. Portanto, evidenciamos uma oportunidade de celular incrível para quem deseja utilizá-lo para jogar, garantimos que não irá se arrepender.

É BOM PARA TRABALHAR?

Mais do que útil, é necessário e suficiente para o trabalho.

Com todas essas informações expostas, precisamos ressaltar que o preço do MOTO G60 é de, em média, R$1600,00. Compreendemos dentro do padrão aceitável, haja vista toda o desempenho desse aparelho.

Publicidade

Esperamos que a Review tenha servido para auxiliá-lo na escolha de um aparelho celular que valha o custo-benefício pretendido. Deixe nos comentários o que achou e até a próxima!

5/5 - (1 vote)

Facebook
Twitter
Pinterest